Voltar a pagina inicial

Acidez excessiva no estômago

Fone 43 3325 5103

Curas simples para queimação no estômago

Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: http://www.bolsademulher.com/sites/www.bolsademulher.com/files/styles/big-featured/public/medicina-alternativa/Curas-simples-para-queima%C3%A7%C3%A3o-no-est%C3%B4mago2.jpg?itok=68YM1dIs

As curas simples para queimação no estômago são opções caseiras e práticas. Poderão evitar esse sofrimento todas as vezes que se come determinados tipos de alimentos. Abuso de comidas picantes, entre outras, pode ocasionar a queimação, que pode derivar de gases presos, úlceras pépticas, refluxo de ácidos, ou gastrite.

Receitas caseiras

Independente da causa, uma ótima opção natural é o chá de tomilho. Esta erva trata flatulência, diminui o inchaço na mucosa do intestino, acaba com a dor, ou com a sensação provocada pela queimação. Coloque para ferver 1 colher de chá de folhas secas numa xícara de água. Repita 2 vezes por dia.

A raiz de gengibre não só libera gases, como reduz a irritação estomacal. Poderá beber um chá, ou mastigar um pedaço de gengibre com 1 colher de chá de mel. Mantenha o consumo por 1 semana, no mínimo.

Hortelã-pimenta funciona como um balde de água fria na queimação do estômago. Além do refluxo, trata condições relacionadas, pois relaxa os músculos do estômago, e alivia gases e cólicas. O chá deve ser consumido 2 vezes no dia, e poderá usar folhas frescas, ou secas.

Um iogurte natural também pode ser a solução. Além de diminuir o desconforto causado pela acidez, auxilia no tratamento de lesões no intestino, infecções no trato urinário, ou distúrbios no Sistema Digestivo. Beba 1 iogurte natural, sem açúcar, antes das refeições principais.

Os problemas de acidez podem ser facilmente tratados com o uso regular do mel. Beba 1 colher de sopa todas as manhãs, em jejum. Este poderoso remédio natural também promove o alívio de úlceras no estômago, ou lesões no intestino. Se quiser aumentar a potência, acrescente uma pitada de canela.

Se preferir frutas para tratar a queimação, as melhores são a banana e a melancia. Coma 1 banana todos os dias meia hora antes do almoço, ou tenha uma fatia generosa de melancia. Repita por 1 mês, ou até quando considerar necessário. A água de coco é outra solução caseira de grande eficácia, e realmente, produz alívio imediato. Beba 1 copo cheio de água de coco gelada 2 vezes no decorrer do dia.

Em paralelo, procure incluir o máximo possível de folhas verdes nas refeições principais. Os vegetais folhosos funcionam como um escudo no estômago, e impedem a incidência da queimação. Há que lembrar, ainda, que em tempos de crise, comidas picantes, ou muito condimentadas são uma péssima ideia. Sempre que possível, beba muito leite também, porém, jamais com o estômago vazio, ou durante um ataque de acidez, pois irá agravar o problema.

Feno-Grego

O nome cientifico do feno-grego é Trigonella foenum-graecum.

O feno-grego também conhecido como fenacho ou alforvas é uma planta medicinal que possui sementes com propriedades digestiva e anti-inflamatória que ajudam no tratamento para gastrite e colesterol. Ele pode ser comprado em lojas de produtos naturais.

Para que serve o Feno-Grego

O feno-grego serve para ajudar no tratamento de de anemia, raquitismo, gastrite, inflamações, celulite, feridas, cárie, prisão de ventre, acne, faringite, inflamação na vulva, cólicas menstruais, colesterol, hemorroidas, furúnculo além de aumentar a energia corporal, aumentar a massa muscular e reduzir a gordura corporal.

As suas sementes ajudam no tratamento de problemas do couro cabeludo como caspa, queda de cabelo e calvície, hidratando e acelerar o crescimento saudável do cabelos.

Propriedades do Feno-grego

O feno-grego possui propriedades laxativa, afrodisíaca, anti-inflamatória, redutora dos sintomas da menopausa, estimulante na produção de testosterona, digestiva e inibidora de apetite.

Modo de uso do Feno-Grego

As partes utilizadas do feno-grego são as sementes, a onde estão suas propriedades medicinais. Elas podem ser usadas moídas e diluídas no leite, em Infusão ou cozimento das sementes para fazer chá, em cápsulas, encontradas em lojas de produtos naturais e em aplicações de compressas com a semente de feno-grego triturada e aquecida.

Chá de feno-grego para compressas, gargarejos e lavagens vaginais: Usar 2 colheres (de chá) de sementes de feno-grego e 1 xícara de água. Ferver as sementes na água durante 10 minutos. Em seguida coar e usar o chá em compressas no couro cabeludo para tratamento de caspa e calvície, gargarejos para tratamento de rouquidão ou lavagens vaginais. 

Chá de feno-grego: Usar 1 xícara de água fria sobre duas colheres (de chá), deixar em repouso por 3 horas, em seguida ferver os ingredientes, coar e beber enquanto estiver morno, 3 vezes ao dia para tratamento da prisão de ventre e alivio dos sintomas da menopausa.

Compressa com as sementes de feno-grego para furúnculo: Usar 110 g de sementes de feno-grego com água ou vinagre. Bater no liquidificador até obter uma pasta e levar ao fogo até levantar fervura. Em seguida espalhar a polpa ainda quente sobre um pano e aplicar sobre o local da inflamação até esfriar repetindo o procedimento de 3 a 4 vezes por dia.

Efeitos colaterais do Feno-Grego

O uso de feno-grego pode causar gases, barriga inchada e diarreia e o uso na pele pode causar irritação em indivíduos alérgicos a planta. Para utilizar feno-grego recomenda-se procurar orientação com um especialista em fitoterapia.

Contraindicações do Feno-Grego

O feno-grego é contraindicado em grávidas, mulheres que estejam amamentando e indivíduos diabéticos dependentes de insulina.

Especialistas recomendam evitar a automedicação contra azia e refluxo

POR MINHA VIDA - PUBLICADO EM 13/02/2012

Uma nota divulgada pela Food and Drug Administration (FDA), órgão governamental dos Estados Unidos que faz o controle de alimentos e medicamentos, apontou que remédios utilizados no tratamento da azia e do refluxo gastroesofágico, conhecidos como inibidores da bomba de prótons, podem causar diarreia. O efeito colateral seria resultado da proliferação da bactéria Clostridium difficilem

A investigação foi baseada na análise de 28 estudos sobre o assunto. Desses, 23 apontaram os inibidores da bomba de prótons como fator de risco par a diarreia. Comercializados por diversas marcas, os inibidores são recomendados para diminuir a quantidade de ácido do estômago para tratar azias, refluxo, úlceras e inflamação do esôfago.

A FDA afirmou ainda que, mesmo em caso de diarreia persistente, os pacientes não devem parar de tomar o medicamento sem consultar um médico. Para os profissionais da saúde, por sua vez, ela aconselhou que o diagnóstico para a diarreia associada à bactéria Clostridium difficile leve em conta remédios contra acidez no estômago usados pelos pacientes.

A azia é causada pelo refluxo de ácido gástrico, causado pelo mau funcionamento de uma espécie de válvula, chamada esfíncter, que se abre para o alimento passar do esôfago para o estômago. Já as úlceras são feridas que podem ocorrer no estômago, causando queimação e, em alguns casos, perda de apetite.

Hábitos podem ajudar a prevenir azia

O prazer da refeição dura pouco para os 20 milhões de brasileiros que, segundo a Organização Mundial da Saúde, são obrigados a lidar com a queimação no estômago causada pela azia. O número levantado já é alto, mas tende a ser ainda maior, já que a maioria das pessoas que convive com o problema dificilmente busca um especialista na tentativa de resolvê-lo. "A maioria dos pacientes procura, por conta própria, medicamentos ou soluções naturais para amenizar o desconforto", afirma o gastroenterologista Luiz Eduardo Rossi Campedelli, do Hospital Albert Einstein. "Os sintomas acabam melhorando temporariamente, mas voltam a incomodar em pouco tempo sem tratamento médico". Por isso, além do acompanhamento de um profissional, o Minha Vida recomenda algumas dicas para prevenir o problema.

Cardápio selecionado
Controlar o consumo de alguns alimentos ajuda a evitar crises de azia. De acordo com gastroenterologista Luiz Eduardo Rossi Campedelli, do Hospital Albert Einstein, frituras e alimentos muito gordurosos devem ficar longe do prato de quem sofre com azia. Frutas ácidas, condimentos, embutidos e alguns tipos de verduras, como couve, couve flor, brócolis, repolho, nabo, rabanete, pepino e tomate também devem ser evitados, porque tem ph ácido.

Refeições na hora certa
Passar longos períodos em jejum aumenta as chances de azia. Isso acontece porque, quando uma pessoa fica sem comer, o ácido gástrico se acumula e pode refluir, irritando o final do esôfago. "Comer a cada três horas mantém o sistema digestivo em funcionamento, sem sobrecarga na produção de ácido gástrico", explica o gastroenterologista Luiz Campedelli.

Pratos que transbordam
Quem exagera no prato também corre maior risco de ter azia. "Quanto maior o volume de alimentos ingeridos de uma vez, maior será o risco que o suco gástrico atinja o esôfago, já que estômago estará superlotado", explica Luiz Campedelli.

Azia e queimação

Exercícios após a refeição
Segundo o gastroenterologista Ricardo Blanc, muita movimentação física aumenta as chances de refluxo. Até duas horas após uma grande refeição, o estômago ainda acumula ácidos gástricos em maior quantidade e os movimentos podem fazer com que esses líquidos retornem em direção ao esôfago, causando a queimação.

Na lojinha nos aconselhamos chá de espinheira Santa, tintura estomacal