Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: C:\Users\Ervas\Desktop\ervas e doencas\aborto_arquivos\image001.jpg

Voltar a pagina inicial

Diarréia crônica  

Fone 43 3325 5103

Diarreia infantil

O que é Diarreia infantil?

A diarreia é um desarranjo do intestino com aumento do número de evacuações e fezes amolecidas ou líquidas.

Causas

Os germes causadores da diarreia costumam chegar ao ser humano através da boca, podendo estar na água ou alimentos contaminados. A maioria das diarreias é causada por vírus, bactérias ou parasitas. Os parasitas são comuns em locais com condições precárias de higiene sanitária.

Sintomas de Diarreia infantil

Sintomas da desidratação infantil:

  • olhos fundos
  • ausência de lágrimas quando a criança chora
  • boca e língua secas
  • ter muita sede e beber água ou outro líquido muito rápido
  • diminuição da quantidade de urina
  • afundamento da moleira.

Se a criança apresentar dois ou mais sintomas, pode ser desidratação. É necessário procurar a unidade de saúde mais próxima imediatamente para atendimento médico

Tratamento de Diarreia infantil

  • iniciar a ingestão do soro caseiro* o mais breve possível
  • aumento da ingestão de líquidos como soros, sopas, sucos
  • ingerir de 50 a 100 ml de líquido após cada evacuação diarréica
  • manter a alimentação habitual, principalmente o leite materno, corrigindo erros alimentares e seguindo as orientações médicas
  • observar os sinais de desidratação.

*Como preparar o soro caseiro:

Misture em um litro de água mineral, de água filtrada ou de água fervida (mas já fria) uma colher pequena (tipo cafezinho), de sal e uma colher grande (tipo sopa), de açúcar. Misture bem e ofereça o dia inteiro ao doente em pequenas colheradas.

Complicações possíveis

  • desidratação
  • diarreias de repetição, desnutrição crônica, retardo do desenvolvimento do peso e estatura
  • retardo do desenvolvimento intelectual
  • morte.

Prevenção

  • amamentar o recémnascido no mínimo até os seis meses de vida
  • beber somente água tratada, filtrada ou fervida
  • beber bastante líquidos, principalmente nos dias mais quentes
  • observar se os encanamentos da residência não estão furados
  • manter os depósitos de água sempre fechados e fazer limpeza regularmente
  • não tomar banho em rio, açude ou piscina contaminada
  • manter a higiene da casa, pessoal e dos utensílios de mesa e fogão
  • lavar as mãos com água e sabão antes de preparar os alimentos, antes de amamentar, após a troca de fraldas de crianças ou após usar o banheiro

 

Descrição: http://www.dietadiet.com.br/fotos/materias/diarreia.jpg

Sobre a Incontinência Fecal

A maioria das pessoas se sente mais do que um pouco desconfortáveis quando pensam em falar com seus amigos, familiares e médicos sobre a incontinência fecal. Se você sofre de incapacidade de controlar os movimentos do intestino, você não está sozinho. Essa condição afeta milhões de pessoas.

Definição

A incontinência fecal, também conhecida como incontinência intestinal, impede o controle dos movimentos intestinais. O paciente poderá apresentar escapes inesperados ou usar o banheiro com muita frequência. Algumas pessoas experimentam uma combinação desses sintomas.

Causas

A incontinência fecal é, geralmente, um distúrbio adquirido. Pode ser causada por:1,2

Lesão obstétrica pela gravidez ou parto

Idade avançada ou acidente vascular cerebral

Lesão do nervo ou muscular, causada por lesão ou cirurgia

Condições que afetam os nervos, como diabetes, doença de Parkinson e esclerose múltipla

Doença inflamatória intestinal e síndrome do intestino irritável

Doenças congênitas

Algumas pessoas podem sofrer de incontinência fecal devido ao fato de não conseguir perceber um movimento intestinal, ao passo que outras conseguem sentir um movimento intestinal, mas não conseguem segurá-lo até chegar ao banheiro.

Diagnóstico

Converse com o/a seu/sua médico/a sobre os seus sintomas e como eles afetam a vida cotidiana. Seu médico fará um diagnóstico com base nos sintomas.

Orientação Nutricional para Diarréia

 

Algumas doenças, como endometriose, colites ulcerativas, doenças de Crohn, câncer ou tumor no intestino, estresse, cólon irritável (o intestino não se contraem de maneira rítmica), podem levar a diarréia crônica.

É importante saber que a diarréia é um sintoma, e não uma doença. O importante é conhecer a doença que leva a diarréia, para que os cuidados e tratamento médico sejam realizados com muita atenção.

Vale lembrar que o estresse emocional freqüentemente agrava os sintomas relacionados às doenças no intestino, como por exemplo, a diarréia.

A diarréia é caracterizada por evacuações líquidas freqüentes. Ocorrendo uma passagem muito rápida do alimento através dos intestinos impedindo a digestão e absorção dos nutrientes, não permite nem mesmo a absorção da água. Por isso a importância de beber muito líquido quando se está com diarréia, evitando a desidratação.

Uma orientação básica que deverá ser iniciada imediatamente com a diarréia é preferentemente tomar líquidos e evitar alimentos sólidos de difícil digestão, isso ajudará a minimizar os sintomas.

O leite deverá ser evitado, porém, alguns produtos lácteos como queijos, iogurtes e leite com baixo teor de lactose podem ser consumidos, pois são bem tolerados.

A dieta deverá ter alto teor protéico-calórico porque é necessário repor os depósitos corporais, para evitar quadros como anemia e perda de massa muscular.

É necessário evitar a ingestão de gorduras, principalmente quando estiver com a diarréia chamada esteatorréia (diarréia com coloração amarelada), pois dificulta a absorção destas gorduras. Neste caso os triglicerídeos de cadeia média (óleo de coco é uma boa fonte) são úteis por serem de fácil absorção.

A suplementação com fontes de ácidos graxos ômega-3 tem sido defendida para ajudar a minimizar o componente inflamatório. O ácido graxo ômega-3 pode ser encontrado em óleo de peixe e peixes de água fria.

É essencial diminuir a ingestão de açúcares simples, como doces, balas etc, pois podem levar à diarréia, devido à fermentação que seus resíduos sofrem no intestino.

Prefira uma dieta com os polissacarídeos como, por exemplo, a Batata. Esta medida tem como objetivo evitar ou não potencializar distensão e dor abdominal.

EVITAR: vegetais e frutas crus, cereais ricos em fibras como farinha de aveia não devem ser utilizados. As fibras, principalmente celulose e hemicelulose, devem ser restritas na dieta uma vez que podem causar obstrução dos segmentos intestinais afetados.

Uma fibra que se faz necessária na doença intestinal inflamatória é a pectina, por ajudar a moldar a massa fecal. Pode ser encontrada em frutas como maçã, pêra, pêssego e banana, no entanto deve ser oferecida amassadas e/ou cozidas.

 

IMPORTANTE:

  • Beber muitos líquidos, de forma que se previna a desidratação mediante aos episódios de diarréia.
  • Refeições pequenas e freqüentes, com menos volume e mais fracionada, são importantes e bem toleradas do que grandes refeições e podem fazer com que você se alimente melhor.
  • As preparações não devem apresentar temperaturas extremas, principalmente fria, pois aumenta a motilidade intestinal e leva a diarréia imediata.
  • Eliminar do cardápio os condimentos, os alimentos de difícil digestibilidade e ricos em enxofre (Agrião, Alho, Abacate, Avelã, Ameixas, Abobrinha, Brócolis, Bebidas Gasosas, Batata Doce, Cebola, Couve Flor, leite), pois provocam acúmulo de gases no intestino, formando a flatulência.
  • Evitar alimentos ricos em purina (fígado, coração, língua, miúdos em geral, peixes pequenos, frutos do mar como sardinha, camarão etc, caldos de carne, feijão, grão de bico, ervilha, lentilha, grãos integrais), por ser capaz de aumentar o peristaltismo, e agravar o quadro de diarréia. Para diminuir os gases use os alimentos como gengibre e os chás de erva-doce e cidreira.

Converse com seu médico, para se necessário adicionar à dieta a suplementação das vitaminas K e B12 e o ferro caso esteja com anemia. Um exame de sangue é importante para saber se você está anêmica.

A vitamina A e o mineral zinco são dois nutrientes que devem ser oferecidos por atuarem no processo de regeneração da mucosa intestinal e por beneficiarem o sistema imunológico.

A Vitamina A atua na síntese protéica e, principalmente sob a forma de betacaroteno, por exemplo - cenoura cozida, possui propriedades antioxidantes.

É importante uma dieta rica em vitamina E, e dos minerais Selênio, Cobre, Cromo, Magnésio e Manganês.

A vitamina C é outro nutriente essencial por auxiliar no processo de cicatrização da mucosa intestinal e síntese de massa magra. Também previne a anemia ferropriva ao aumentar a absorção intestinal de ferro, além da sua ação antioxidante.

O complexo B é outro grupo de micronutrientes essencial por atuar como auxiliar no metabolismo de proteínas, lipídios e glicídios, e são úteis para reverter ou prevenir quadros de anemia.

Vitaminas como a B1 (Tiamina) atuam ainda na normalização dos movimentos do intestino (peristaltismo) ao controlar a função tônica do intestino. O Cálcio, Potássio, Zinco, Ferro, Manganês, Fósforo e até mesmo o Sódio, são os minerais mais perdidos pelos episódios de diarréia, por isso também devem estar presentes na dieta.

 

"O controle do estado emocional é importante, na medida em que se correlacione a piora do estado clínico com distúrbios neste sentido".

Com o controle medicamentoso e dietético é possível controlar esses sintomas de diarréia

Sugestão de dia alimentar

Café da Manhã

1 xícara de chá de erva-doce sem açúcar

1 fatia de pão branco

1 fatia de queijo branco

1 pêra cozida com canela

Lanche da manhã

1 maçã sem a casca cozida

2 bolachas de maisena

Almoço

Arroz

1 filé de truta *peixe de água fria

1 Batata pequena cozida e recheada com ricota

Lanche da tarde

1 copo de suco batido (1/2 maça sem casca com ½ banana, 100 ml de suco natural laranja  bater no liquidificador e coar.

½ pão francês

1 fatia de queijo branco

Jantar

Macarrão com molho de tomates naturais e coados. Não colocar pimenta e nem condimentos fortes, coloque salsinha e bata no liquidificador e coe.

1 filé de peixe grelhado com cenouras cozidas e amassadas.

Ceia

Chá de cidreira sem açúcar e de 3 a 4 biscoitos de maisena.

 

ATENÇÃO: Siga as orientações do seu médico! As informações contidas no Portal Dietadiet são apenas educativas, portanto não dispensa sua visita ao médico especialista.